• Rachel Fernandes

Os 11 mandamentos de escrita por Henry Miller (e meus comentários)

Atualizado: Ago 21


Henry Miller em seu estúdio de escrita, circa 1950 - 📷: HenryMiller.org


Os 11 mandamentos de escrita do autor Henry Miller me ajudaram (e me ajudam) a escrever. Hoje, divido com vocês a lista na íntegra e alguns comentários que compilei ao longo da carreira.


11 Mandamentos de Escrita

por Henry Miller


1. Trabalhe em uma coisa por vez até essa coisa estar terminada.


Quando o tempo é curto, é melhor focar num projeto até o fim do que ter 10 projetos sem conclusão. Reduzir as possibilidades e focar num projeto por vez, por mais esquisito que seja, nos deixa mais criativos. Eu, por exemplo, só funciono assim.


2. Não comece livros novos. Não adicione mais material à "Primavera das Trevas".


De novo, falamos sobre a importância de finalizar projetos. Terminar o que você escreve é o objetivo principal. Começos, por mais excitantes que sejam, não são bons o suficiente sem um final.


3. Não fique nervoso. Trabalhe com calma, alegria, determinação e com o que você tiver à mão.


Seja num bloquinho, no notebook ou numa máquina de escrever, trabalhe. Mas trabalhe com alegria, escreva porque você gosta. Pode ser difícil encontrar determinação pra seguir em frente ou mesmo disposição pra trabalhar em alguns dias, mas o necessário, como sempre, é a tentativa.


4. Trabalhe de acordo com o cronograma, nunca de acordo com o humor. Pare na hora determinada!


Marque compromissos com a escrita (e compareça). O que diferencia um amador de um profissional é a visão que se tem sobre o ato de escrever. De segunda a sexta, das 9h às 18h, eu trabalho numa agência de publicidade. Depois disso, coloco meu traje de escritora e inicio a segunda jornada de trabalho. Mesmo nos dias em que a vontade de escrever não surgir, escreva. Não existe fórmula mágica.


5. Quando você não pode criar, você pode trabalhar.


E sabe o que é mais legal? O inverso também é verdadeiro. Quando você não puder trabalhar, crie. Encontrar prazer nessas duas partes do processo criativo abre diversas oportunidades e nos fortalece como escritores.


6. Ao invés de adicionar novos fertilizantes, cimente um pouco todos os dias.


Escreva um pouquinho todos os dias. Pense a longo prazo e, por mais que não seja sua praia, use a matemática a seu favor: 100 palavras por dia são 700 palavras por semana e 2800 palavras por mês. Assim, você pode ter mais de 33 mil palavras por ano. Com 100 palavras por dia, você escreve uma novela por ano. Parece bom pra mim.

7. Seja humano! Veja pessoas, vá aos lugares, beba se você sentir vontade.


Já se foi o tempo em que o escritor era um esquisitão que ficava entocado em casa, escrevendo e escrevendo. O trabalho criativo é feito de pessoas, das relações que travamos e das observações que fazemos. Seja curioso e aproveite todas as oportunidades.


8. Não fique entediado! Trabalhe com prazer.


Já dizia o poeta que escrever é um ato de amor. Não se aproxime do trabalho com preguiça ou má vontade. Lembre-se: má vontade no autor, má vontade no leitor.


9. Descarte o cronograma quando sentir vontade, mas volte a ele no dia seguinte. Concentre-se. Resuma. Exclua.


Tem dias em que a gente não quer trabalhar. E tudo bem. Mas volte ao cronograma sempre que possível. Aqui, nós queremos terminar os projetos. Quando me sinto perdida, gosto de lembrar dessas três palavras: concentre-se, resuma, exclua. Respire fundo e recomece. E se não adiantar, uma ajudinha sempre é bem-vinda.


10. Esqueça os livros que você quer escrever. Pense apenas no livro que você está escrevendo.


Ou melhor: pense no livro que você quer escrever como estímulo pra terminar o livro que você está escrevendo. Encare os livros como pessoas numa fila de espera. Se você não terminou de atender uma pessoa, não pode passar outra na frente. É a mesma lógica pros livros.


11. Coloque a escrita sempre em primeiro lugar. Pintar, fazer música, ir ao cinema, visitar os amigos, tudo isso vem depois.


Não adianta: a prioridade de um escritor deve ser a palavra escrita. Eu tenho um milhão de hobbies, mas a escrita, que começou como uma brincadeira na minha pré-adolescência, virou um trabalho. É algo que domina meus pensamentos 24 horas por dia, 7 dias por semana. Escrever, pro Henry Miller e pra mim, vem antes de tudo.


Por hoje é isso. Antes de me despedir, o quote do dia:


"Escreva aquilo que não pode ser esquecido."
— Isabel Allende —

➡️ Compre meu romance Sobre Enfermeiras e Postais na Amazon, ou LEIA DE GRAÇA pelo Kindle Unlimited. E depois, me diz o que achou! Vou adorar saber sua opinião :)


Até a próxima!



© 2020 por Rachel Fernandes.